Futsal

 

Sessões técnicas previstas para o mês de MARÇO de 2011

FUTEBOL DE 11 

Monitor residente: Luís Estrela

 ? 1ª Sessão – 03 de Mar. (5ª Feira) – 21H30 – Hugo Silva (Debate e análise às Leis do jogo)

? 2ª Sessão – 10 de Mar. (5ª Feira) – 21H30 – Luís Estrela (Testes + Eleições Intercalares Direcção)

? 3ª Sessão – 17 de Mar. (5ª Feira) – 21H30 – Nuno Castro (Projecção de vídeos FIFA e sua análise)

? 4ª Sessão – 24 de Mar. (5ª Feira) – 21H30 – João Capela (Preparação para testes escritos)

? 5ª Sessão – 31 de Mar. (5ª Feira) – 21H30 – Luís Estrela (Análise comportamental dos árbitros)

 

FUTSAL

Monitor residente: Joaquim Carvalho

? 1ª Sessão –  01 de Mar. (3ª Feira) – 21H30 – Joaquim Carvalho (Antes do jogo)

? 08 de Mar. (3ª Feira) – 21H30 – Carnaval (Não se realiza sessão) 

? 2ª Sessão –  15 de Mar. (3ª Feira) – 21H30 – José Padinha (Conselhos p/ árbitros Jovens)

? 3ª Sessão –  22 de Mar. (3ª Feira) – 21H30 – José Padinha (Regulamentação e Normas)

? 4ª Sessão –  29 de Mar. (3ª Feira) – 21H30 – JoaquimCarvalho (Ser árbitro de Futsal)

 

Em todas as sessões é concedido um período de 30 minutos, para escalpelizar os eventuais casos de jogo.

(Revoga o Comunicado nº 28 – 09/10)

Para conhecimento de todos os Árbitros, Cronometristas, Observadores e demais interessados se esclarece que de acordo com o previsto no Regulamento Oficial de Provas desta Associação um dos Delegados ao jogo poderá ser substituído no banco pelo Treinador Adjunto, Preparador Físico ou Secretário Técnico.

Assim o texto integral, acerca do assunto, inserido nas Normas Regulamentares para Árbitros passa a ter o teor seguinte:

9 – BANCO DOS TÉCNICOS

9.1 – Salvo no caso referido no parágrafo seguinte, os bancos dos técnicos devem ser sempre colocados ao longo da linha lateral, ambos à mesma distância da linha de meio campo, no limite máximo de 16 (dezasseis) metros.

O banco destinado aos elementos do Clube visitante deve ser colocado, sempre que possível, no lado oposto àquele onde estiverem concentrados os sócios do Clube visitado.

9.2 – No banco dos técnicos têm lugar até ao limite máximo de 12 pessoas (Futebol de 11 e Futsal), ou 10 pessoas (Futebol de 7), os seguintes elementos constantes das fichas técnicas:

a)      No máximo 7 jogadores suplentes para o futebol de onze e Futsal, 5 para o futebol de sete.

b)      No máximo 5 elementos de entre os seguintes:

2 Delegados (membros dos órgãos sociais, seccionistas e colaboradores)

  • Treinador
  • Treinador adjunto
  • Preparador físico
  • Secretário técnico
  • Médico
  • Enfermeiro/Fisioterapeuta/Massagista

Nota: Não é permitido acumular funções de treinador/jogador e vice-versa, mesmo que para o efeito esteja habilitado.

9.3 – Os jogadores suplentes devem estar devidamente equipados e com fato de treino ou coletes que os distingam dos jogadores de campo.

9.4 – Dos elementos mencionados na ficha técnica, apenas podem dar instruções tácticas para dentro do terreno de jogo os habilitados como treinadores. No caso de existirem dois treinadores (treinador e treinador adjunto) apenas um de cada vez pode estar de pé a exercer essas funções. O elemento que esteve a dar instruções pode continuar de pé na área técnica, até ao momento que o outro treinador se levante para o mesmo efeito.

Aos restantes elementos presentes no banco, estão vedadas essas funções.

9.5- A não comparência do treinador não impede a realização do jogo.

9.6-Na falta do Delegado do Clube, poderão exercer essas funções, desde que com cartão de identificação emitido pela A.F.L., ou por uma credencial emitida por esta entidade em caso de extravio do cartão. Quando for caso disso, os Delegados só poderão ser substituídos por qualquer dos indivíduos a seguir referidos:

1 – Qualquer elemento dos órgãos Sociais;

2 – Seccionista; / Secretário Técnico

3 – Colaborador;

4 – Treinador;

5 – Capitão de equipa;

6 – Sub-Capitão de equipa.

9.7- A falta do treinador ou do treinador adjunto, impede qualquer dos restantes elementos do banco de dar instruções tácticas, para dentro do terreno de jogo.

9.8 – Em quaisquer das circunstâncias, o árbitro deve mencionar o facto no relatório do jogo.

9.9- Com excepção dos suplentes, os outros elementos do banco devem possuir as respectivas braçadeiras, colocadas no braço, com a largura de 9/10 centímetros, que facilmente os distinguem e permitam ao árbitro uma rápida identificação se necessário.

9.10 – Os jogadores substituídos podem tomar lugar no banco.

Os clubes cujas equipas não apresentem treinadores habilitados, mas que tenham individuos que se encontrem a frequentar o Curso de Treinadores, e que estejam no banco na qualidade de 1º. ou 2º. delegado (membros dos órgãos sociais, seccionistas, secretário tecnico e colaboradores), deverão para o efeito mencionar na Ficha Técnica de cada jogo na parte “declarações do delegado” que o 1º. e/ou 2º delegado estão a frequentar o curso de treinadores de futebol de onze e/ou futsal. No entanto os individuos nestas condições não estão autorizados a exercer as funções de treinador.

Lisboa, 15 de Novembro de 2010

Como é do vosso conhecimento, os árbitros, através das mais diversas entidades/associações têm vindo a tentar sensibilizar o Governo, através do Sr. Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, para a grave situação que está a ser colocada ao sector da arbitragem e do ajuizamento desportivo, no que se refere ao Regime Fiscal e a partir do dia 1 de Janeiro de 2011, o novo Código contributivo da Segurança Social, que também irá ter consequências muito gravosas para o sector da arbitragem.

Este processo decorre há mais de 4 anos, não tendo tido a evolução desejada, apesar de promessas por parte do poder politico, no sentido de criar condições que tenham em atenção a especificidade da actividade de Árbitro e Juiz desportivo.

Na Sexta-feira, dia 22 de Outubro, reuniram em Leiria, A APAF, com os Conselhos de Arbitragem Distritais, e um representante do CA da FPF, e da CAJAP, onde voltaram a analisar a situação, que se irá agravar ainda mais a partir do dia 1 de Janeiro de 2011, com a entrada do novo Código Contributivo da Segurança Social, o qual irá obrigar os Árbitros e Juízes desportivos, que não descontem para a Segurança Social, a uma contribuição mensal, que no mínimo será de cerca de 183 euros.

Na referida reunião foi consensualizado, que devido à falta de resposta, por parte do poder politico, face a este grave problema, que vem penalizando os Árbitros e o sector da Arbitragem, que os Árbitros, Árbitros Assistentes, Observadores e Cronometristas de todas as categorias de Futebol e Futsal, devem ficar indisponíveis de actuar nas competições em que actuam na Jornada do fim de semana de 6 e 7 de Novembro de 2010.

 O Núcleo de Árbitros de Futebol de Lisboa vem manifestar a sua solidariedade para com este movimento. Como demonstração desse apoio iremos, sem prejuízo da nossa regular actividade, manter este post como notícia de destaque até ao dia 7 de Novembro.

 Reiteramos que o sector da Arbitragem, não quer ter sobre estas matérias qualquer tipo de privilégios, queremos tão só, que tenham em atenção a especificidade da nossa actividade.
Estamos seguros que todos unidos conseguiremos atingir os objectivos que melhor servem a Arbitragem portuguesa.

 O Núcleo de Árbitros de Futebol de Lisboa está ao lado dos árbitros, na defesa da arbitragem!

Teste 1ª Categoria

Teste 2ª Cat. + Estagiários

Sessões técnicas previstas para o mês de SETEMBRO de 2010

 FUTEBOL DE 11

Monitor residente: Rui Rodrigues

 1ª Sessão – Dia 2 de Setembro (5ª Feira) – 21H30

Luís Estrela (Correcção Teste escrito/Leis do jogo/Vídeo Teste)

 2ª Sessão – Dia 9 de Setembro (5ª Feira) – 21H30

João Capela (Normas e instruções AFL)

 3ª Sessão – Dia 16 de Setembro (5ª Feira) – 21H30

Rui Rodrigues (Atenção e concentração/Trabalho de equipa/Análise de vídeos/Vídeo teste)

 4ª Sessão – Dia 23 de Setembro (5ª Feira) – 21H30

André Campos (Lei 11, Análise de vídeos/Vídeo teste)

 5ª Sessão – Dia 30 de Setembro (5ª Feira) – 21H30

Hugo Silva (Lei 12, Análise de vídeos/Vídeo teste)

 FUTSAL

Monitor residente: Joaquim Carvalho 

1ª Sessão – Dia 7 de Setembro (3ª Feira) – 21H30

Joaquim Carvalho (Alterações às Leis do jogo/Preparação para testes escritos)

 2ª Sessão – Dia 14 de Setembro (3ª Feira) – 21H30

Joaquim Carvalho/José Padinha (Respostas aos testes escritos)

 3ª Sessão – Dia 21 de Setembro (3ª Feira) – 21H30

José Padinha/Joaquim Carvalho (Colocação e movimentação)

 4ª Sessão – Dia 28 de Setembro (3ª Feira) – 21H30

Joaquim Carvalho/José Padinha (Instruções e Normas Regulamentares)

Em todas as sessões é concedido um período de 30 minutos, para escalpelizar os eventuais casos de jogo, ou outros.